Uso da fruta Noni para tratamentos da saúde é proibido pela Anvisa

Noni

A Noni é uma fruta com vários poderes medicinais segundo a tradição popular, mas sem nenhuma comprovação científica, por isso é contestada e com restrições de uso pela ANVISA. O consumo da fruta ao natural e moderadamente não é prejudicial e sua venda continua normalmente.

Os derivados do fruto e até as folhas são usados para tratamento de febre, dor no olhos, infecções da pele, gengivite, constipação, dores de estômago, problemas respiratórios e em alguns países, como na Malásia, as folhas são usadas para tratamentos de tosse, náusea e cólicas e até artrite.

A proibição da ANVISA não é da fruta, mas dos derivados que são usados no tratamentos de doenças, como os xaropes, chás e outras receitas, por serem tóxicas e conforme a quantidade do uso, podem causar sérios transtornos de saúde.

O que é contestado pelas autoridades sanitárias são os mais variados tipos de uso para tratamentos medicinais que ainda não são comprovados e podem acabar causando mais problemas do que benefícios ou tendo efgeitos colaterais.

A planta noni é mais cultivada no Taiti e sua origem é asiática, depois o cultivo espalhou-se pela Ásia Meridional, ilhas do Oceano Pacífico, Polinésia Francesa, Porto Rico e mais recentemente a República Dominicana. O Taiti continua a ser o local de maior cultivo.

O princípio biológico ativo é a Xeronina que foi patenteado nos Estados Unidos por Ralphe Heinicke para ter direitos sobre o uso comercial do produto com uso na alimentação e medicinal.

Veja o video do R7 sobre a Noni e a determinação da Anvisa sobre seus derivados:

Classificação científica do Noni:

  • Reino: Plantae
  • Divisão: Magnoliophyta
  • Classe: Magnoliopsida
  • Ordem: Gentianales
  • Família: Rubiaceae
  • Género: Morinda
  • Espécie: M. citrifolia

Veja mais sobre da planta Noni:

Em Agosto de 2004, a FDA (Food and Drug Administration) dos Estados Unidos enviou uma carta de alerta à empresa Flora, Inc., devido às promoções desta no seu website, sobre o sumo de noni (no Brasil, suco de noni) no contexto de vários testemunhos e reivindicações de estudos científicos. A FDA não aprovou [1], no que respeita a efeitos médicos ou terapêuticos, do sumo de noni e substâncias relacionadas.

Na União Europeia, o sumo de noni está registrado como ingrediente alimentar [2] e, segundo o documento da decisão, o comitê científico da alimentação humana, perante os dados que lhes foram fornecidos, concluiu que o sumo de noni não é superiormente benéfico para a saúde quando comparado a outros sumos de frutas.

Este registro como ingrediente alimentar é válido apenas para o sumo de noni, não abrangendo quaisquer outros produtos alimentares feitos a partir de noni. Portanto, é proibido, por lei, vender outros produtos alimentares feitos a partir desta planta e fruto. É também ilegal reivindicar qualquer efeito médico ou terapêutico, de qualquer produto derivado de noni na União Europeia, uma vez que não foram aprovados pelas autoridades competentes.

Em 2005, duas publicações científicas descreveram incidentes de hepatite aguda reportadas como causadas por uma preparação a base de noni. Consequentemente, a EFSA (Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar) iniciou uma avaliação dos produtos derivados do noni. Na Alemanha, a BfR (National Agency for Risk Evaluation) também iniciou investigações em 2006, sobre a hepatite aguda, que poderia ter sido causada por esses produtos. No entanto, os autores das duas publicações não encontraram toxinas nos produtos derivados desta planta, como por exemplo, o sumo (suco) de noni, mas sim antraquinona na raíz desta planta’. [3]. Estudo recente, publicado em junho de 2006 na revista científica World Journal of Gastroenterology, não observou nenhum efeito tóxico ao fígado, mesmo em doses altas do suco. No Brasil, por insuficiência de estudos comprobatórios dos benefícios do noni e a possibilidade de provocar hepatite aguda, a ANVISA proibiu o uso e comercialização para fins medicinais.

O significado legal da classificação de noni como suplemento dietético, deve-se ao fato de a classificação como remédio exigir a realização de estudos que mostram segurança e, principalmente, eficácia de um produto para o tratamento de alguma doença. É possível que com o tempo, princípios ativos sejam isolados do fruto e, que estes, sejam testados para o tratamento de patologias, mas até o momento não há um número suficiente de estudos demonstrando eficácia no tratamento de patologias para as quais este suco vem sendo recomendado. Estudos in vitro e em camundongos [4] [5] [6] sugerem que o uso de componentes de noni possam ser úteis no tratamento de diversas patologias, mas esses dados ainda não podem ser transpostos para o uso clínico.

Assim, o seu uso não elimina a necessidade de acompanhamento médico ou de medicações se essas forem prescritas, em portadores de doenças crônicas ou graves. (Wikipedia)

Fonte: As Novidades

Anúncios

Sobre vazosdopurus

Vasos do Purus é um canal alternativo de mídia criado com o objetivo pautado na área política, social e comunitária em toda a calha do Purus, estado do Amazonas e a nível nacional.
Esta entrada foi publicada em Geral. ligação permanente.

4 respostas a Uso da fruta Noni para tratamentos da saúde é proibido pela Anvisa

  1. CARLOS FRANCISCO GREGÓRIO DA SILVA diz:

    SERIA BOM QUE O POVO FOSSE PARA AS RUAS ,E FIZESSE PASSEATAS EM PROTESTO CONTRA A MALDOSA PROIBIÇÃO DESSA FRUTA QUE TEM BENEFÍCIOS COMPROVADO EM PAÍSES MUITO MAIS DESENVOLVIDOS QUE O BRASIL SE.É FACIL FAZER PASSEADAS GAYS E OUTRAS COISAS ABSURDAS,PORQUE NÃO FAZER PASSEATA EM PROL DA SAÚDE DO POVO?
    EU QUERO VER ESSE FRUTO VIAJANDO DENTRO DO UNIVERSO DO CORPO DE MUITOS BRASILEIROS BENEFICIANDO O CÉREBRO,O RINS E TODO O SISTEMA UMUNOLÓGICO DO SER HUMANO.ESSE É O MEU SONHO PRO POVO BRASILEIRO.

  2. Paulo Roberto de Souza Lima diz:

    Hepatite é uma doença viral. Onde já se viu uma fruta produzir virus? Deve ser um imbecil quem apareceu com essa informação. O que pode causar infecção é a contaminação de produtos industriais. Se fruta produzisse virus, seria excelente arma biológica.

  3. max diz:

    Rapaz tudo que é bom para o povo eles querem cortar,eles são terriveis querem que o povo morra comprando comprimidos etc ou seja soscio de uma farmacia, acabou o noi veio para dar um basta nisso.. claro que precisamos de médicos, mais querer pribir uma frutas que só faz o bem é brincadeiras desses cachorros. vida que segue um forte abraço

  4. José Leite diz:

    Parecer sobre a segurança do purê de fruta Tahitian Noni® (‘Morinda citrifolia -noni) e concentrados como um novo ingrediente alimentar

    Autoridade Alimentar Europeia para a Segurança (EFSA)

    Publicado pela primeira vez: 03 de abril de 2009.

    http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.2903/j.efsa.2009.998/full

    RESUMO
    Na sequência de um pedido da Comissão Europeia, o Painel de Produtos Dietéticos, Nutrição e Alergias foi convidado a emitir um parecer científico sobre a segurança do puré e concentrado de frutos de Morinda citrifolia (Noni) como novo ingrediente alimentar.
    O puré de fruta de Noni fabricado de acordo com o procedimento descrito neste pedido é o mesmo que o material de fruta de noni utilizado para produzir o suco Tahitian Noni®. Noni concentrado de frutas também é feita diretamente de purê de frutas noni. Os dados de composição apresentados demonstram que o fabrico de concentrado de frutos não-i resulta num aumento das proporções de componentes mais hidrófilos (hidratos de carbono, açúcares, minerais) e numa diminuição do teor de gordura. O Painel considera que não se espera que os dois passos envolvidos na produção do concentrado de frutas não-i (remoção da polpa por centrifugação e concentração por evaporação) resultem em alterações de composição qualitativas ou quantitativas que possam ter uma importância toxicológica ou nutricional.
    De acordo com a recorrente, a quantidade de concentrado de sumo de fruta de noni ou de sumo de noni a ser incluído em produtos será equivalente a 30 mL de sumo de fruta de Morinda citrifolia por porção. A maior estimativa no percentil 97,5 é de 504 mL de suco de fruta / dia de Morinda citrifolia para adultos, excluindo o suco Tahitian Noni®. A adição do 97,5º percentil para o consumo de suco de Tahitian Noni® por adultos (120 mL / dia) resulta em uma estimativa de 97,5% do percentil de 624 mL de suco de fruta de Morinda citrifolia / dia. Estima-se que a ingestão combinada média de machos adultos, de todas as fontes, não seja superior a 161 mL de suco de fruta de Morinda citrifolia.
    Em crianças, a quantidade mais alta estimada para qualquer grupo de alto consumo é equivalente a 416 mL de suco de fruta / dia de Morinda citrifolia. Combinando isso com a estimativa de consumo elevado (97,5 percentil) de 132 mL de suco de Tahitian Noni® / dia por crianças fornece um total de 548 mL de suco de fruta de Morinda citrifolia / dia. A ingestão combinada média mais alta em crianças é estimada em 169 ml de suco de fruta de Morinda citrifolia / dia.
    Em um parecer anterior adotado em 2006, o Painel considerou quatro estudos de caso para investigar uma possível associação entre o consumo de suco de noni e hepatotoxicidade. Com base nas informações toxicológicas disponíveis e no contexto dos dados fornecidos sobre o consumo de sumo de noni sem a notificação de efeitos hepatotóxicos, o Painel considerou improvável que o consumo de sumo de noni, nos níveis observados de ingestão, induzisse fígado humano adverso Efeitos. Isto também se aplicaria às antraquinonas potencialmente presentes no sumo de noni comercialmente produzido. O Painel concluiu que não havia evidência convincente de uma relação causal entre a hepatite aguda observada nos estudos de caso relatados eo consumo de suco de noni.
    Desde então, o Painel foi informado de cinco relatos de casos adicionais sobre uma possível associação entre o consumo de suco de noni e hepatotoxicidade, e um relato de caso sobre o consumo de uma preparação de noni não especificada. O Painel observou que, na maioria dos estudos de caso relatados, a fonte do produto de noni consumido permaneceu incerto. Embora o Painel considere que os dados disponíveis não são suficientes para estabelecer uma relação causal entre o consumo de suco de Noni e hepatoxicidade, o número crescente de relatos de casos pode indicar que alguns indivíduos têm uma sensibilidade especial para efeitos hepatotóxicos para produtos de frutas não-i.
    O Painel conclui que o puré de frutas e o concentrado de Morinda citrifolia (Noni) como novos ingredientes alimentares nas condições especificadas são considerados seguros para a população em geral. No entanto, o Painel considera que o número crescente de casos pode indicar que alguns indivíduos têm uma sensibilidade particular para efeitos hepatotóxicos para produtos de frutas não-i.

    Observação:

    Optando pelo Google Crome para navegar pela Web você terá a opção de tradução automática nos sites estrangeiros.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s