Obra da rodovia BR-319 está em andamento, mas não receberá asfalto sem licença do Ibama

Publicado em

Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito está atuando com obras até no trecho que precisa do licenciamento do Ibama, pois só está fazendo recuperação da rodovia que liga Manaus à Porto Velho

BR-319-

Trecho central não receberá asfalto novo, pois para isso a licença do Ibama deverá ser emitida, mas pequenas obras vão dar trafegabilidade ao longo de 455 km (Euzivaldo Queiroz)
 

Única alternativa de ligação rodoviária entre Manaus e o centro do País, quase toda a extensão da BR-319 (Manaus-PortoVelho) está em obras, incluindo os trechos cuja pavimentação foi suspensa por falta de autorização dos órgãos ambientais, segundo informou o Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit).

No trecho entre os quilômetros (Km) 255 e 655, que dependem da elaboração do Eia/Rima (estudos ambientais), o Dnit informou que obras de manutenção estão em andamento e que, embora a pavimentação não esteja prevista, a intervenção permitirá a trafegabilidade na rodovia.

De acordo

com

a assessoria de comunicação do Ibama, não há impedimentos legais para manutenção em trechos que já tenham recebido obras: “Segundo as portarias do Ministério do Meio Ambiente 288 e 289 de 2013, obras concluídas e que necessitem de manutenção, como, por exemplo, recapeamento, não necessitam de novos estudos ambientais. Ou seja, é permitida a manutenção”.O superintendente do Dnit-AM/RR, Fábio Galvão, informou que, para o trecho entre o Km 255 e 655 (os 405 quilômetros que aguardam a licença ambiental), o órgão concluiu quatro licitações para execução de serviços de manutenção e conservação da rodovia.

Ele informou que ainda há asfalto da primeira obra na rodovia, na década de 70. Segundo Galvão, a manutenção não envolve pavimentação. Apenas “reconformação da plataforma, reciclagem de base, recomposição de aterros (erosões), recomposição do revestimento primário e reforma de pontes de madeira de lei”.

Outro trecho que está em obras é o que compreende os quilômetros 13 e 198, com uma extensão de 185 quilômetros. A intervenção começou em agosto, após a conclusão da licitação R$ 349 milhões. Agora em setembro, inicia “ terraplanagem, substituição de bueiros, recomposição de aterros (erosões), dentre outros”.

O trecho que vai do quilômetro 198 ao 250, uma extensão de 52 quilômetros, é o que está sem nenhuma intervenção. Segundo o Dnit, um projeto para pavimentar o local está em elaboração, no entanto, sem previsão.

Do quilômetro 655 a 678 (acesso a Humaitá), 29 quilômetros estão recebendo alargamento da plataforma, reciclagem de base substituição de bueiros metálicos, construção meio fio, sarjeta, descida dágua, duas pontes em concreto armado, pavimentação em concreto asfáltico. Além disso, esse trecho também está sendo sinalizado para o tráfego de veículos. A previsão é concluir a obra até dezembro.

No trecho entre os quilômetros 678 e 877 da BR-319, com extensão de 199 km, está sendo realizada capina, roçada, caiação (pintura a base de cal), tapa buraco, remendo profundo e execução de micro revestimento asfáltico.

Fonte: A Critica

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s