Mais de 2,4 mil prefeitos assinam adesão ao programa Internet para Todos

Publicado em Atualizado em

O programa Internet para Todos nasceu em maio de 2017, com o lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), de propriedade do governo brasileiro e que recebeu R$ 3 bilhões em investimentos.

Brasília, 12 de março de 2018

 

O MCTIC estabeleceu parcerias ao longo do ano passado com o Ministério da Defesa, para garantir o monitoramento de 100% das fronteiras brasileiras, ampliando as ações de combate ao tráfico de armas e drogas; com o Ministério da Educação, para levar banda larga para todas as escolas públicas do país, sendo que 7 mil serão beneficiadas ainda em 2018; e com o Ministério da Saúde, para implantar internet em hospitais e postos de saúde, melhorando a gestão pública e a qualidade dos serviços prestados à população.

“Diante da mobilização extrema dos prefeitos, a nossa expectativa é de entregar o primeiro lote de adesão amanhã para a empresa que vai operar o satélite. Milhares de antenas já estão prontas para colocar nas cidades”, anunciou o ministro. “Muito possivelmente, como centenas de prefeitos nos ligaram no fim de semana, teremos um segundo lote, que será fechado em três semanas. Neste período, portanto, a expectativa é atingir 100% dos municípios brasileiros, que serão beneficiados com esse programa.”

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, reforçou que o Programa de Informatização das Unidades Básicas de Saúde (Piubs) está disponível, com objetivo de implantar um prontuário eletrônico. “Temos dezenas de empresas inscritas. Logo os senhores poderão optar qual empresa desejam contratar para informatizar a sua cidade. Teremos tablets para agentes locais de saúde. Tudo isso nos permitirá economizar R$ 20 bilhões dos R$ 246 bilhões que estados, municípios e União colocam anualmente na saúde, porque deixaremos de repetir exames, consultas e entrega de equipamentos. A informatização tem esse condão de dar transparência e controle às ações de governo.”

As empresas credenciadas pelo Piubs estão aptas a fornecer soluções que contemplem serviços de conectividade, disponibilização de hardware e software, manutenção de equipamentos de tecnologia da informação, treinamento dos profissionais de saúde e suporte técnico contínuo.

O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, recordou que a instituição começou há 14 anos a pleitear um programa de banda larga. “Lá pelos idos de 2004, nós já buscávamos com o governo federal para que fosse criada uma instância, que hoje, finalmente, vamos conseguir implantar no nosso país. Uma necessidade urgente. Os prefeitos têm dificuldade hoje porque tudo é pela internet, praticamente. Tribunais de contas exigem dados por meio virtual, de forma imediata, sem falar dos benefícios em educação, saúde e segurança.”

Até o momento, 3.031 municípios manifestaram interesse em participar do programa. Desse total, 2.836 prefeituras estão prontas para assinar o termo de adesão. Cerca de 40 mil localidades devem ser contempladas. As cidades beneficiadas nesta primeira fase começarão a receber as antenas em maio. A operação será feita pela empresa Viasat, contratada pela Telebrás

Fonte: ASCOM – Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s