Brasília

Brasília: Servidora é mordida por rato e Senado determina dedetização

Publicado em Atualizado em

Brasília, sexta feira 13 de janeiro de 2012

Após uma servidora ter sido mordida por um rato, o Senado determinou nesta sexta-feira a desratização e a dedetização da Secretaria-geral da Mesa Diretora e da Secretaria do Congresso. O episódio ocorreu na quarta-feira na Secretaria-geral da Mesa. Uma funcionária trabalhava quando foi atacada pelo rato. Ela, que calçava uma sandália, levou uma mordida no pé. Em seguida, foi atendida no Serviço Médico do Senado. A servidora está de licença e em observação.
As atividades nas duas secretarias foram suspensas no início da tarde e serão retomadas na segunda-feira. Os dois ambientes, responsáveis pela assessoria da Mesa Diretora especialmente nas sessões, são repletos de documentos e livros. Há relatos de servidores de que os roedores podem ser vistos em outros locais do Senado.
Essa não é a primeira notícia que se tem de ataques de animais. Em 2009, por exemplo, o serviço de prevenção de acidentes foi acionado para  tentar exterminar uma colmeia de abelhas no gabinete do senador Alvaro Dias (PSDB-PR). Na época, dois funcionários foram picados. Também já foi encontrada uma família de saruês – uma espécie de gambá. Os animais estavam vivendo em um buraco na parede. Escorpiões também aparecem constantemente.

fonte: Folhapress

Charge relacionada:

Mudança em Brasília: Luiz Sérgio nega que ministério da pesca seja prêmio de consolação

Publicado em Atualizado em

O atual ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, disse que assumir o Ministério da Pesca “não é um prêmio de consolação”. “O Ministério da Pesca é muito importante, tem um peso econômico muito significativo”, disse o ministro que, na próxima segunda-feira, passa a ocupar a pasta. “Para quem é de Angra dos Reis, que nem eu, pescar é mais que uma obrigação. É uma atividade que dá prazer”, disse ele. A troca foi decidida nesta sexta-feira (10) pela presidenta Dilma Rousseff. O ministro Luiz Sérgio (PT-RJ), deixará a articulação política do governo e passará a comandar a Secretaria Especial da Pesca e Aquicultura. Em seu lugar assume a atual ministra da Pesca, Ideli Salvatti (PT-SC).Luiz Sérgio avaliou que os rumores de desarticulação da base governista no Congresso, durante o tempo em que cuidou da relação do governo com o Parlamento, não são verdadeiros. “Não há desarticulação da base. Praticamente todas as medidas provisórias foram aprovadas. Leis como a do salário mínimo foram também aprovadas. Essa é uma versão que não corresponde a verdade dos fatos”, destacou. O ministro elogiou a capacidade de articulação de Ideli Salvatti, segundo ele, provada durante o tempo que ele ela atuou como líder da bancada petista e líder do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Senado. “Ideli tem experiência, foi líder da bancada, foi líder do governo e tem todas as condições de desempenhar essa função”, destacou o ministro.A troca foi a segunda mudança no ministério de Dilma Rousseff. Na terça-feira, Antonio Palocci foi substituído na Casa Civil por Gleisi Hoffmann. A atuação de Luiz Sérgio vinha sendo alvo de crítica de congressistas. Parte do diálogo do governo com o Congresso estava sendo conduzido pelo ministro Palocci, que deixou o governo em meio a suspeitas envolvendo seu patrimônio. Já a nova ministra da Casa Civil tem um perfil mais técnico. No Senado, como líder do governo de Lula, Ideli foi uma ferrenha defensora, principalmente durtante as crises provocadas pelas denúncias de mensalão.

fonte: Agência Brasil