florentino

Patrimônio público de Rurópolis é depenado pelo ex-prefeito Aparecido Silva

Publicado em

Quanto mais se fala e escreve sobre o combate a corrupção e a devida aplicação das leis que versam sobre o assunto mais se ouve falar sobre desmandos praticados por prefeitos em vários municípios.

Índice

Prefeito Pablo recebeu prefeitura falida

O novo gestor do município de Rurópolis, Pablo Genoíno (PSDB) levou um  grande susto ao assumir a prefeitura do referido município. É que nem as chaves lhes foram entregues, sendo preciso literalmente meter pé na porta. Lá dentro, praticamente nada foi encontrado. Sem computadores, sem infraestrutura nenhuma o novo prefeito ainda não tem ideia de quanto irá gastar para montar uma nova estrutura que permita o inicios de seus trabalhos.

 

Índice2

Carros abandonados no matgal por Aparecido

Parece que o bom uso do dinheiro do dinheiro publico não é pratica comum em certos lugares. Em Rurópolis, por exemplo, não é de hoje que a imprensa divulga denúncias de improbidade administrativa  sob comando  do ex-prefeito Aparecido Florentino da Silva. Desta vez, o vereador Raimundo Nonato Sousa e Silva indignado com a situação encontrada, resolveu levar ao conhecimento da população, que por sua vez, também não pode se ausentar na cobrança de mais respeito ao patrimônio e dos recursos públicos que devem ser aplicados devidamente.

 

Segundo o vereador a prefeitura foi encontrada totalmente depenada e com um alto índice de nepotismo.  Parentes como irmãos e outros afins do prefeito, foram encontrados na folha de pagamento. E por falar em pagamento que vinha sendo feito até com regularidade, somente em retaliação por perdido as eleições, o funcionalismo deixou de receber o mês de dezembro.

 Índice3

Anbulâncias sucateadas por Aparecido

 

Completamente vazia e totalmente desprovida de qualquer estrutura como sequer um computador pra começar a registrar algo, foi deixado pelo ex-gestor, deixando a entender que os equipamentos podem ter sido levados do prédio da prefeitura, assim como das secretarias também. Nenhum registro de nenhum trabalho foi encontrado para dar sequencia a administração. Todos os documentos foram propositadamente queimados com a intenção de não deixar rastros.

Nos postos de saúde, não foi encontrado sequer um copinho para a coleta de exames, quanto mais medicamentos necessários ao atendimento a população.  Nas ruas o que se vê é o acúmulo de lixo, mato, buracos e ratos. Muitos ratos.

 Índice4

Até cachões foram alvos de Aparecido

Os maquinários que vez ou outra eram vistos por lá, foram todos sucateados, e até uma ambulância foi encontrada em local ermo com um caixão dentro. Os desmandos são tantos que o vereador prefere no momento nem enumera-los, deixando a tarefa para  o Ministério Publico ao proceder uma investigação mais seria a respeito dos bens públicos que foram provavelmente surrupiados, assim a existência de uma provável máfia que praticava desvios de recursos públicos da saúde e da educação, segundo palavras do próprio vereador.

 

Outra denuncia seria foi feita no decorrer de 2012,  por quase todos os veículos de comunicação que circulam na região: foi a retirada ilegal de quase dois milhões de reais da conta do Instituto de Previdência do Município de Rurópolis (IPMR), feita pelo ex-prefeito Aparecido Silva, e que até hoje não sabe o paradeiro desse dinheiro.

 

Índice5

A queima de documentos foram prioridade do ex-prefeitos

O prefeito Pablo Genoíno afirma por sua vez, que cobrou  ainda uma transição de governo onde pudesse se inteirar melhor dos problemas do munícipio e ate mesmo dos projetos em andamento, mas nada disso aconteceu. Aparecido se recusou a passar qualquer informação ao novo governo, que não vai descansar enquanto esses desmandos não forem solucionados, por outro lado a pulação informa que ex- prefeito passou de apenas um dos comerciantes daquele lugar para se transformar num dos comerciantes mais ricos daquela área, após deixar o governo.

Fotos Aroldo Miranda e produções

Fonte: Blog do Xarope

Leia Também:

Prefeito de Rurópolis não respeita lei, desaparece e não deixa fazer transição.

Mais de 3 mil inquéritos da PF apuram desvio de verba pública em prefeituras