pcdob

Pedidos de cassação somam 44 processos na Justiça Eleitoral do Amazonas

Publicado em

Denúncias foram apresentadas pelo Ministério Público Eleitoral e pelos segundos colocados nas eleições de 2012

Prefeitos-Manaus-Pinheiro-Maues-Carlos_ACRIMA20130115_0002_15

A Justiça Eleitoral do Amazonas já recebeu, pelo menos, 44 pedidos de cassação de mandato referentes às eleições de 2012. O número pode ser maior já que o levantamento feito por A CRÍTICA tem como base 17 dos 62 municípios do Estado. O prazo para apresentar denúncias com o objetivo de cassar mandatos termina no dia 21. A lista inclui os prefeitos de Manaus, Artur Neto (PSDB), de Coari, Adail Pinheiro (PRP), e o de Maués, Padre Carlos (PT), entre outros.

A judicialização da eleição é um reflexo do pleito de 2008, quando 17 prefeitos foram cassados, sendo que dez deles não conseguiram reverter a situação nos recursos e perderam os mandatos em definitivo. O levantamento de A CRÍTICA foi feito a partir de dados fornecidos pela assessoria de comunicação do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), e por meio de consultas feitas diretamente às zonas eleitorais e a advogados.

Só em relação a candidatos eleitos em Manaus, estão tramitando seis pedidos de cassação, sendo que três deles estão sob segredo de justiça e a reportagem não pode ter acesso a quem são os denunciantes e denunciados. Os demais são: um contra o vereador Ronaldo Tabosa (PP), que nem chegou a tomar posse do mandato; e dois contra o prefeito Artur Neto, processos movidos pela adversária dele no pleito passado, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM).

Fonte: A Critica