rio preto da eva

Clima tenso, Vereadores sob pressão e população pedindo a renúncia do Prefeito e Vice de Rio Preto

Publicado em

rp1
A população de Rio Preto da Eva compareceu, em peso, na Sessão da Câmara de Vereadores do Município, nesta quinta-feira. Neste momento acontece a sessão ordinária. O principal assunto em pauta é a renúncia e/ou CPI visando à cassação do prefeito Dr. Ricardo e seu vice Dr. Ernani.
rp3
Cartazes e faixas são empunhadas na manifestação de apoio aos vereadores dentro do prédio da Câmara Municipal. O clima continua tenso. O Povo pede que o prefeito e o vice renunciem ao poder.
rp2
A pressão é imensa em cima dos vereadores para instalem uma Comissão  Parlamentar de Inquérito, em que o resultado final seria a cassação dos mandatários do Município.
Fonte: blogdosidoca.com
Anúncios

Sobe para 16 o número de municípios em situação de emergência

Publicado em

Lábrea-Vazos

O decreto que permite contratações sem licitação tem validade de 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período, até o limite máximo de 180 dias

Manaus – Sobe para 16 o número de municípios do interior onde os prefeitos decretaram situação de emergência para contratar serviços sem licitação. Iranduba, Caapiranga e Manacapuru foram os últimos a entrar em emergência.

Os decretos foram publicados na edição desta quarta e quinta-feira no Diário Oficial dos Municípios. O decreto que permite contratações sem licitação tem validade de 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período, até o limite máximo de 180 dias.

Completam a lista os municípios de Itacoatira, Tefé, Rio Preto da Eva, Maués, Novo Airão, Coari, Parintins, Benjamin Constant, Beruri, Nova Olinda do Norte, Envira, Uarini e Ipixuna.

Em Iranduba, o primeiro decreto do prefeito Xinaik Medeiros (PTB) alega que a lixeira pública da cidade ameaça a contaminação para a população.

Em Caapiranga, Zilmar Sales (PDS), decretou emergência por conta de uma enxurrada ocorrida no último dia 4 e que provocou acúmulo de lixo nas vias, igarapés e córregos, além do entupimento da rede de esgoto. Ele alegou ainda a falta de equipamentos e a paralisação da coleta e limpeza pública.

Os primeiros três decretos de Washington Régis (PMDB) foram para declarar situação de emergência para os serviços de saúde, coleta de lixo e educação.

Lixeira a céu aberto, o não pagamento de professores, depredação das escolas, a falta de medicamentos e a paralisação do transportes em ambulâncias foram os motivos que levaram o prefeito a assinar os decretos.

Fonte:  portal@d24am.com

Resultado das eleições municipais é contestado no interior do AM

Publicado em Atualizado em

Municípios começam a registrar protestos, retaliações, denúncia de compra de votos e ameaça de invasão de cartório

Manifestações contrárias ao resultado das eleições municipais de domingo começam a explodir em municípios do interior do Amazonas.  Manicoré, Rio Preto da Eva e Coari registraram ameaça de protestos, cartas de repúdio e tentativa de invasão de cartórios eleitorais.

Com menos de 24 horas da divulgação do resultado do pleito pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), alguns moradores  se mobilizavam para levantar irregularidades na reeleição, em Manicoré, de Lúcio Flávio (PSD) que obteve 51,44% dos votos. Liderados pelo partido político do candidato opositor, Jeferson Campos (PTN), uma lista de supostas irregularidades como compra de votos e uso da máquina administrativa foram apresentados ao juiz eleitoral da Comarca, Jeferson Galvão de Melo.

“Nós temos provas de compra de voto, de troca de voto por motor para os barcos, dinheiro. Temos tudo filmado e já entregamos ao juiz que nada fez. Iremos nos reunir hoje para decidir se vamos permanecer com a ideia de invadir o cartório e atear fogo lá”, explicou a secretária do PTN, Kelly Mar.

Fonte: A Critica

Lei Também:

A Questão da lavagem de dinheiro,o que diz a Lei e o Tribunal dividido

TSE vai saber quantos ‘fichas sujas’ venceram até o fim da semana

Imagens da manifestação em frente do TRE de Lábrea

Após suposta compra de votos no AM, 10 mil protestam por nova eleição

Coari pode ter nova Eleição

CASSAÇÃO POR COMPRA DE VOTOS – Apenas candidatos poderão responder ao processo