da silva

SAÚDE INDÍGENA EM TAPAUÁ: LIDERANÇAS DENUNCIAM MORTES E PRECARIEDADE NO ATENDIMENTO À SAÚDE

Publicado em

Denilson-enterro                                                                        Imagem de divulgação da internet

Duas crianças e dois idosos indígenas morreram nos últimos meses no município de Tapauá sem que tenham recebido a assistência adequada, de acordo com denúncia feita por Valdimiro Farias da Silva Apurinã, coordenador da Federação das Organizações e Comunidades Indígenas do Médio Purus – Focimp. Segundo a denúncia, no dia  06/03/2013, Ana Clara Farias Da Silva, criança de cinco meses de idade faleceu, acometida por vômito e diarreia. No dia 14/02/2013, na aldeia São João, na Terra Indígena do mesmo nome, morre Mocinha Souza Da Silva, idosa, vítima de diarreia e desnutrição.

“No dia 18 de janeiro passado o senhor João Zeca Da Silva Apurinã, idoso e forte, veio a falecer repentinamente com febre, devido a um arranhão num prego e a comunidade até agora está assustada com sua morte repentina”, relata Valdimiro Apurinã em documento encaminhado à coordenação regional do Conselho Indigenista Missionário – Cimi, Regional Norte I (AM/RR). Ele cita ainda o caso de uma criança que nasceu morta, filha de Ana Lúcia da Silva, no dia 12 de fevereiro.

Além desses fatos, o dirigente da Focimp está solicitando da coordenação local da Fundação nacional do Índio – Funai, a substituição de dois guardas de segurança que estariam agindo de forma preconceituosa e desrespeitosa contra os indígenas. “Os seguranças não têm o perfil adequado para trabalhar com as populações indígenas, pois os mesmo não respeitam os indígenas, tratam os nossos parentes com desprezo e preconceito”, reclama Valdimiro Apurinã em ofício à Funai, apontando ainda outras irregularidades praticadas pelos seguranças, dentre as quais a ausência dos postos de trabalho e interferência na organização indígenas.

Além dos relatos dos óbitos, os indígenas apontam os seguintes problemas decorrentes do precário atendimento à saúde: inexistência de polos-base, poucas ações nas comunidades por parte da equipe multidisciplinar, falta de capacitação dos conselheiros que atuam no controle social, aumento dos casos de malária, inexistência  de um sistema de saneamento básico e abastecimento de água potável por meio de poço artesiano, prejudicando sobretudo  as crianças que sofrem com disenteria e outras doenças de veiculação hídrica.

As denúncias encaminhadas pelos indígenas serão levadas pela assessoria jurídica do Cimi Norte I à Procuradoria da República no Amazonas. No dia 10 dezembro do ano passado, como parte das atividades do Dia D da Saúde Indígena, organizado pela 6ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, as frequentes denúncias feitas pelos indígenas ao MPF  resultaram em três ações civis públicas e  15 recomendações a diversos órgãos e municípios do Amazonas.

Por: Racismo Ambiental

Anúncios

Patrimônio público de Rurópolis é depenado pelo ex-prefeito Aparecido Silva

Publicado em

Quanto mais se fala e escreve sobre o combate a corrupção e a devida aplicação das leis que versam sobre o assunto mais se ouve falar sobre desmandos praticados por prefeitos em vários municípios.

Índice

Prefeito Pablo recebeu prefeitura falida

O novo gestor do município de Rurópolis, Pablo Genoíno (PSDB) levou um  grande susto ao assumir a prefeitura do referido município. É que nem as chaves lhes foram entregues, sendo preciso literalmente meter pé na porta. Lá dentro, praticamente nada foi encontrado. Sem computadores, sem infraestrutura nenhuma o novo prefeito ainda não tem ideia de quanto irá gastar para montar uma nova estrutura que permita o inicios de seus trabalhos.

 

Índice2

Carros abandonados no matgal por Aparecido

Parece que o bom uso do dinheiro do dinheiro publico não é pratica comum em certos lugares. Em Rurópolis, por exemplo, não é de hoje que a imprensa divulga denúncias de improbidade administrativa  sob comando  do ex-prefeito Aparecido Florentino da Silva. Desta vez, o vereador Raimundo Nonato Sousa e Silva indignado com a situação encontrada, resolveu levar ao conhecimento da população, que por sua vez, também não pode se ausentar na cobrança de mais respeito ao patrimônio e dos recursos públicos que devem ser aplicados devidamente.

 

Segundo o vereador a prefeitura foi encontrada totalmente depenada e com um alto índice de nepotismo.  Parentes como irmãos e outros afins do prefeito, foram encontrados na folha de pagamento. E por falar em pagamento que vinha sendo feito até com regularidade, somente em retaliação por perdido as eleições, o funcionalismo deixou de receber o mês de dezembro.

 Índice3

Anbulâncias sucateadas por Aparecido

 

Completamente vazia e totalmente desprovida de qualquer estrutura como sequer um computador pra começar a registrar algo, foi deixado pelo ex-gestor, deixando a entender que os equipamentos podem ter sido levados do prédio da prefeitura, assim como das secretarias também. Nenhum registro de nenhum trabalho foi encontrado para dar sequencia a administração. Todos os documentos foram propositadamente queimados com a intenção de não deixar rastros.

Nos postos de saúde, não foi encontrado sequer um copinho para a coleta de exames, quanto mais medicamentos necessários ao atendimento a população.  Nas ruas o que se vê é o acúmulo de lixo, mato, buracos e ratos. Muitos ratos.

 Índice4

Até cachões foram alvos de Aparecido

Os maquinários que vez ou outra eram vistos por lá, foram todos sucateados, e até uma ambulância foi encontrada em local ermo com um caixão dentro. Os desmandos são tantos que o vereador prefere no momento nem enumera-los, deixando a tarefa para  o Ministério Publico ao proceder uma investigação mais seria a respeito dos bens públicos que foram provavelmente surrupiados, assim a existência de uma provável máfia que praticava desvios de recursos públicos da saúde e da educação, segundo palavras do próprio vereador.

 

Outra denuncia seria foi feita no decorrer de 2012,  por quase todos os veículos de comunicação que circulam na região: foi a retirada ilegal de quase dois milhões de reais da conta do Instituto de Previdência do Município de Rurópolis (IPMR), feita pelo ex-prefeito Aparecido Silva, e que até hoje não sabe o paradeiro desse dinheiro.

 

Índice5

A queima de documentos foram prioridade do ex-prefeitos

O prefeito Pablo Genoíno afirma por sua vez, que cobrou  ainda uma transição de governo onde pudesse se inteirar melhor dos problemas do munícipio e ate mesmo dos projetos em andamento, mas nada disso aconteceu. Aparecido se recusou a passar qualquer informação ao novo governo, que não vai descansar enquanto esses desmandos não forem solucionados, por outro lado a pulação informa que ex- prefeito passou de apenas um dos comerciantes daquele lugar para se transformar num dos comerciantes mais ricos daquela área, após deixar o governo.

Fotos Aroldo Miranda e produções

Fonte: Blog do Xarope

Leia Também:

Prefeito de Rurópolis não respeita lei, desaparece e não deixa fazer transição.

Mais de 3 mil inquéritos da PF apuram desvio de verba pública em prefeituras

Prefeito de Rurópolis não respeita lei, desaparece e não deixa fazer transição.

Publicado em

“não farei a transição, e ninguém está autorizado a fazer por mim”,SDC10050Isso já era de se esperar, o abençoado prefeito de Rurópolis, isso até dia 31, graças a Deus, Aparecido Florentino da Silva, o popular Cabeça de Capacete aprontou mais uma daquelas suas com ar de muita educação.

Atropelando leis, batendo, o pé e dando coice com seu ar de educado: “não farei a transição, e ninguém está autorizado a fazer por mim”, resmungou por todo o corredor da prefeitura.

Alcançado pelo QG, Pablo Genuíno, prefeito a partir de Janeiro de 2013, explicou que todas as solicitações foram feitas, e que nenhuma foram atendida, e como não existe outra forma vai se se virar nos 30, como diz o apresentador Faustão.

Nos bastidores da prefeitura o corre, corre é desesperador, só ver contadores e assessores com computadores na mão. Aparecido Silva desapareceu da cidade, além de não aceitar a transição já deixou claro que deixará para seu FIEL ESCUDEIRO conhecido por BAL a missão da passagem de faixa para o novo prefeito.

Hoje Aparecido Florentino da Silva, de um simples empresário virou um MEGA patrão, com patrimônios distribuídos em vários locais do país. Fazendo em Placas, Medicilândia, apartamentos em Santarém, Belém, Brasília, lojas e uma mansão de fazer inveja no centro da cidade de Rurópolis, tudo isso vindo dos recursos públicos que recebeu durante 8 anos administrando o pobre município de Rurópolis.

Fonte:Ocorrência Policial-Região oeste do Pará

Município de Ipixuna deverá ter nova eleição para prefeito

Publicado em

Ipixuna deve ser o primeiro município amazonense no qual haverá uma eleição suplementar as eleições municipais deste ano. Isto porque, na última semana, o Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) barrou a candidatura da prefeita eleita, Aguimar Silva (PR) e remeteu o caso ao juiz da comarca do município, Carlos Henrique Jardim da Silva.

Aguimar Silva foi eleita com 3,4 mil votos — 51,57% — contra 3,2 mil — 48,43% — do candidato rival, Davi Farias (PSD).

De acordo com o artigo 224 da Constituição Eleitoral, deve haver uma outra eleição quando o candidato eleito com mais de 50% dos votos tiver o diploma cassado.

Procurado pela reportagem, o juiz informou que ainda não recebeu oficialmente a decisão e disse que só irá se pronunciar a respeito do caso após ter acessoaos autos.

As vésperas da eleição — no dia 6 de outubro — Aguimar Silva substituiu o então candidato, Gelzimar Saraiva (PCdoB), seu genro. Ele desistiu da disputa por acumular problemas com a Justiça Eleitoral e, segundo interlocutores, temia ser cassado após eleito.

Diante da derrota, Farias recorreu a Justiça Eleitoral para brecar a diplomação da rival. “Eles (coligação ‘Força e Coragem para Renovar’ encabeçada por Aguimar) visivelmente burlaram a legislação eleitoral”, defendeu Farias.

O advogado da prefeita eleita, Aguimar Silva, Júlio Magalhães disse que as alegações feitas pela atual gestora não passam de uma tentativa de tumultuar as eleições e garantiu que irá recorrer da decisão.

“Vencemos as eleições nas urnas. Eles estão alegando que não demos publicidade a troca de candidatos, mas como se fizemos até uma passeata mostrando aos eleitores a nova candidata? Isso é desculpa de quem perdeu a eleição”, disparou o advogado.

Fonte: Em Tempo-AM

Leia mais…

Prefeita vai à polícia denunciar ameaça de incêndio contra sua residência

Dois municípios podem ter novas eleições para prefeito

TRE pode mudar data de diplomação em Codajás

Ministério Público Eleitoral do Amazonas apresenta 81 impugnações de candidaturas com base na Lei da Ficha Limpa.

TSE ainda tem cerca de 2.800 processos de impugnações de candidaturas para julgar

87 cidades podem ter novas eleições para Prefeito

 

Noite cultural em Lábrea com lançamento de livro

Publicado em

Ocorreu nesse sábado dia 03 de novembro o lançamento dos livros , dos poetas e escritores Labreenses, Elias Bezerra e Antonio Carlos Galvão Da Silva.

Também na ocasião aconteceu  apresentação de artistas Labreenses com números musicais sarau poético e outros.

Marcaram presença pessoas ligadas a universidade e demais interessados na cultura.

Por: Vazos Do Purus

Leia Também:

Lábrea: noite cultural lançará publicações sobre a região do Purus

UEA DOMINA A TRADICIONAL GINCANA CULTURAL DE 1 DE MAIO EM LÁBREA

Cultura: Filme sobre etnia Paumari ganha premiação em festival de cinema

 

Magistrado do trabalho condena cinco pessoas acusadas de exploração sexual em Parintins

Publicado em

Os acusados, entre políticos e empresários, devem pagar R$ 600 mil à cada vítima explorada. A sentença do juiz do Trabalho, Aldemiro Rezende Dantas Junior, ainda cabe recurso

Em uma decisão inédita no Amazonas a Vara do Trabalho do Município de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus) condenou cinco pessoas, entre políticos e empresários, por aliciar e molestar adolescentes para  uma rede de prostituição infato-juvenil. Ele terão de pagar mais de R$ 600 mil de indenização por danos morais às menores que foram abusadas sexualmente por eles.

A sentença do juiz do Trabalho, Aldemiro Rezende Dantas Junior, ainda cabe recurso. Seis meninas serão beneficiadas com a decisão.

Na condenação, o magistrado estabelece que o valor da causa seja dividido em duas partes.  A primeira foi fixada em R$ 300 mil que é referente ao pagamento do dano moral individual das vítimas, o que corresponde a R$ 50 mil para cada uma delas. Na segunda, eles foram sentenciados a pagar também R$ 300 mil por reparação e danos morais coletivos. Esta quantia deverá ficar depositada em conta judicial, à disposição da Vara do Trabalho e será destinada a entidades cuja finalidade seja a de prestar assistência a menores vítimas de exploração sexual. Um dos autores do delito foi condenado ainda a pagar, a uma das vítimas, o equivalente a R$ 25 mil. A época do crime, em 2009, a menor tinha 12 anos e foi estuprada pelo acusado, que pagou R$ 60 para manter relação sexual com a menina.   A ação foi ajuizada, em agosto de 2011, pelo procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT), Audaliphal Hildelbrando da Silva.

Fonte: A Critica

Leia Também:

BISPO DE IGREJA EM LÁBREA É ACUSADO DE PEDOFILIA.

Amazonas: Menina de 12 anos confirma que fazia programas com empresários

 

PF APREENDE URNA ADULTERADA NO AMAZONAS EM RO

Publicado em

 

 

 

 

(Imagem aleatória da imprensa)

Agentes da Polícia Federal  apreenderam em Porto Velho uma urna que foi usada nas eleições de Humaitá, município  do Amazonas, segundo informa o Portal Terra em reportagem assinada por Chico Siqueira.  Segundo o portal,  duas mulheres foram presas quando tentavam negociar a urna com representantes da coligação Humaitá em Boas Mãos, que acionaram os agentes federais.

A urna  estava com o selo de eleições 2012 e as assinaturas dos mesários adulteradas. O fundo da lona tinha sido cortado, possivelmente para a retirada dos votos. De acordo com o registro da Polícia Federal, ela foi usada nas seções 38 e 41 da 17ª Zona eleitoral, no colégio Domingos Sávio, no distrito de Auxiliadora, comarca de Humaitá, a dois de dias de barco da cidade-sede.

“Na eleição daquele distrito foram usadas dois tipos de urnas. A urna eletrônica apresentou problemas e usaram a convencional, mas estranhamente a falta dela não foi registrada”, disse o advogado da coligação Humaitá em Boas Mãos, Edilson Miranda. Segundo ele, a coligação certificou junto à Polícia Civil que ninguém registrou qualquer ocorrência sobre roubo, furto ou desaparecimento.

A operação para apreensão foi comandada pelo delegado da PF Sandro Luiz do Valle Pereira, que hoje não foi localizado para falar sobre o assunto. Mas segundo a ocorrência 1364/12, da PF, o objeto foi localizado depois que duas mulheres o teriam oferecido para dois representantes da coligação Humaitá em Boas Mãos, Raimundo Vivaldo França e Pedro Nazareno Oliveira da Silva.

Nos depoimentos prestados à PF, os dois relataram que ficaram sabendo da urna por meio de um vereador, filho de Roberto Rui Guerra (PP), candidato da coligação Humaitá em Boas Mãos. Segundo eles, as mulheres disseram que entregariam a urna por R$ 4 mil porque o candidato adversário, o prefeito reeleito Dedei Lobo (PMDB), pagaria R$ 3 mil pela urna.

“Eles fingiram que aceitaram o acordo e as duas pediram 40 minutos para buscar a urna e levar até a casa. Os nossos companheiros chamaram a PF, que fez a apreensão das urnas e prendeu as duas mulheres”, contou Miranda. Segundo o advogado, a coligação vai entrar com ações no Tribunal Regional Eleitoral (TER) e Ministério Público e Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Além da apreensão da urna, informou o advogado, a coligação tem dez horas de vídeo gravado com eleitores denunciando a compra de votos. Outras irregularidades foram urnas eletrônicas que sumiram entre a noite do dia 6 e a manhã de 7 de outubro e no dia seguinte mostraram fotos de candidatos diferentes dos que os eleitores votaram. “Essas urnas estavam sob a guarda do Exércio e da Justiça Eleitoral local, por isso estamos recorrendo ao TRE e CNJ”, disse.
Fonte: Portal do Holanda

leia Também:

Juiz nega sumiço de urna em Humaitá

Prefeitos ‘fichas sujas’ podem ter seus votos anulados e não assumir

Será que o povo sabe votar?